sábado, 8 de maio de 2010

Mr. complicated!

Será que a forma como conhecemos as pessoas traça, de alguma forma, o caminho??
No que respeita ao sexo oposto.... será que quanto mais atípica for a maneira como os conhecemos, mais complicado se torna de gerir??
É certo que quando são amigos de amigos há um conhecimento prévio, ainda que tendencioso... quando as pessoas nos caem, literalmente, no colo não há base de comparação, antecedentes, podres, virtudes, bagagens... é tudo novo e, a correr bem, refrescante!
Mas e naquelas raras vezes que este desconhecimento se torna num enigma que queremos à viva força decifrar... ainda que passiva e discretamente??
A bem da verdade, nós só damos a conhecer o que queremos! Mantemos privado o que entendemos que não é de partilha fácil, mostramos o nosso lado fresco e leve e, como à bom português, "o resto logo se vê"! É fácil... prático e consegue evitar-nos milhões de surpresas desagradáveis.
É aquela dualidade: se por um lado, quem não arrisca, não petisca, por outro, quando não se conhece, confia-se desconfiando. Até aqui, estamos de acordo... mas será que é assim tão imprudente e insensato desvincularmo-nos da circunstância e pura e simplesmente desfrutar da companhia de um alguém que apareceu do nada, sem grandes complicações, teorias kármicas ou pretenciosismos???
Pelos vistos é... estamos sempre a aprender! :)
whatever....


****

3 comentários:

Ví Sales disse...

eu prefiro, simplismente deixar rolar...quando conhecemos a pessoa, já vamos com medo de sesu defeitos e procuramos só as qualidades, conhecer aos poucos, descobrir devagarzinho... é sempre mais emocionante, dai quando os defeitos aparecerem, já estaremos envolvidos de mais pra diexar isso atrapalhar!!!

Ceisa Martins disse...

É minha cara Lia...
Eu prefiro analisar bastante a situação, estudar, conhecer... descobrir fraquezas e depois que eu estiver expert no assunto eu vejo o que acontece!

;)

Didío Souza disse...

Fia Linda que eu Amo!

Xerim do Pai²!